• Ejercicios de memoria
  • Ejercicios de memoria
  • Ejercicios de memoria
  • Ejercicios de memoria
  • Ejercicios de memoria
  • Ejercicios de memoria

​Entre 1954 e 1989, o Paraguai viveu uma das mais longas ditaduras da América Latina. Augustín Goiburú, oponente político mais importante do regime de Stroessner, desapareceu em 1976 no Paraná, província de Entre Ríos, Argentina, onde havia se exilado meses antes. Trinta e cinco anos depois, Rogelio, Rolando e Jazmin, seus três filhos, voltam ao local onde Goiburú foi visto pela última vez, em um exercício de memória íntima que dará conta de décadas de história de todo um país. Dirigido por Paz Encina, a mesma diretora de Hamaca paraguaya. Exibido no Festival de San Sebastián 2016.​

Paz Encina

Paz Encina

Nasceu em Assunção, Paraguai, em 1971. Formou-se em cinema pela Universidade de Buenos Aires e realizou videoinstalações, curtas e vídeos. Em 2006, dirigiu seu primeiro longa-metragem, Hamaca paraguaya, vencedor do prêmio FIPRESCI no Festival de Cannes. Voltou a realizar curtas como Rio Paraguay (2010) e Viento Sur (2011). Este é seu segundo longa como diretora.

 

 




SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA