• La macchina ammazzacattivi
  • La macchina ammazzacattivi
  • La macchina ammazzacattivi

Um demônio coloca na câmera fotográfica de um profissional correto o poder para castigar, na Terra, aqueles que são maus. O fotógrafo usa sua nova arma para atingir a todos na sua cidade, começando pelos ricos ou ilustres. Logo, os pobres que ele tanto supunha amar se transformam também em suas vítimas. Inevitavelmente, ele parte para destruir todos.

Roberto Rossellini

Roberto Rossellini

Nasceu em Roma, em 1906, filho de uma dona de casa e do dono de uma construtora. Seu pai construiu o primeiro cinema da capital italiana, o que deu ao pequeno Roberto passe livre para assistir a todos os filmes que quisesse, despertando assim sua paixão pela sétima arte. Começou ainda jovem no cinema, como técnico de som. Iniciou sua carreira como diretor quando o Fascismo já havia tomado o poder na Itália, com o que viria a ser conhecida como sua Trilogia do Fascismo – La nave bianca (1941), Un pilota ritorna (1942) e L'uomo dalla croce (1943). Pouco depois, faria um dos filmes fundadores do Neorrealismo italiano, Roma, cidade aberta (1945), de forte teor antifascista. O longa rodou o mundo, ganhou o Grande Prêmio do Festival de Cannes e é considerado um dos maiores clássicos do cinema. Teve um casamento de sete anos com a atriz Ingrid Bergman, que gerou três filhos, além de seis filmes, como Stromboli (1950), O medo (1954) e Viagem à Itália (1954). Rossellini continuou a fazer cinema e televisão até a sua morte, em 1977, em Roma, vítima de um infarto.