• Rio, 40 graus
  • Rio, 40 graus
  • Rio, 40 graus
  • Rio, 40 graus
  • Rio, 40 graus

Com registro de estilo documental e influência do neorrealismo italiano, o primeiro longa do diretor é um rico panorama do Rio de Janeiro. A cidade é esquadrinhada durante um dia na vida de cinco garotos da favela. Em um domingo de sol, os meninos vendem amendoim em Copacabana, circulam pelo Pão de Açúcar e o Maracanã, ao som do sambista Zé Kéti. A câmera acompanha as crianças e desbrava as ruas de forma nunca vista antes na tela. O filme é reconhecido como inspiração relevante para o Cinema Novo.

Nelson Pereira dos Santos
Nelson Pereira dos Santos
Nelson Pereira dos Santos

Nelson Pereira dos Santos

Nascido em São Paulo, em 1922, formou-se em Direito e trabalhou como jornalista, mas, em 1950, já debutava no cinema com o documentário Juventude. Seu primeiro longa, Rio, 40 graus (1955), é um marco na cinematografia nacional. Da relação com a literatura resultaram, entre outras adaptações, Jubiabá (1987), a partir do livro de Jorge Amado, Boca de ouro (1962), de Nelson Rodrigues, e o clássico Vidas secas (1963), de Graciliano Ramos. Sua carreira prolífica foi ainda da comédia histórica (Como era gostoso o meu francês, 1970) a documentários sobre personalidades como Tom Jobim e Sérgio Buarque de Holanda. Nelson Pereira dos Santos morreu no Rio, aos 89 anos, no dia 21 de abril de 2018.




SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA