• Vai trabalhar vagabundo
  • Vai trabalhar vagabundo
  • Vai trabalhar vagabundo

Um malandro carioca sai da prisão depois de longo tempo e, sem dinheiro, utiliza seu talento para ganhar algum. Preocupado com o fim da malandragem carioca, ele planeja uma revanche entre os dois maiores jogadores de sinuca da época, Russo e Babalu. Mas Russo está internado em um hospício desde sua última derrota, e Babalu agora é um trabalhador controlado de perto pela esposa Vitória, o "prêmio" da disputa com Russo. Melhor filme no Festival de Gramado 1974.

Hugo Carvana

Nasceu em Lins de Vasconcelos, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, em junho de 1937. Menino brincalhão, cresceu ouvindo que era um palhaço e foi imprimindo seu jeito carioca de ser. Aos 18 anos, foi selecionado para ser figurante em chanchadas. Em 1962, fez uma ponta valiosa em Os cafajestes, de Ruy Guerra. A partir daí, se tornou um dos atores mais requisitados do Cinema Novo, em filmes como A falecida (1964) e Terra em transe (1967). Em 1974 estrelou e dirigiu seu primeiro longa, Vai trabalhar vagabundo, melhor filme no Festival de Gramado. Seguiram-se trabalhos como Bar esperança (1982, O homem nu (1997) e Não se preocupe, nada vai dar certo (2011), entre outros. Na televisão, participou de novelas emblemáticas, como Gabriela (1975), Roda de fogo (1986), O dono do mundo (1991) e Fera ferida (1993), além de minisséries como As noivas de Copacabana (1992) e Agosto (1993).