• Around the World with Orson Welles (part II)
  • Around the World with Orson Welles (part II)
  • Around the World with Orson Welles (part II)
  • Around the World with Orson Welles (part II)
  • Around the World with Orson Welles (part II)

Em 1955, Orson Welles deu início ao projeto de uma série documental para o canal de TV britânico ITV, focado em descobrir partes do mundo. A ideia inicial era produzir 25 episódios, mas apenas seis ficaram prontos – e foram exibidos entre outubro e dezembro daquele ano. Os dois primeiros, “Pays Basque I e II”, se dedicam a explorar o País Basco, região entre o extremo norte da Espanha e o sudoeste da França. O segundo episódio, “Revisiting Vienna”, se foca na capital da Áustria. “St.-Germain-des-Prés” mostra o famoso bairro de Paris, enquanto “Chelsea Pensioners” se debruça sobre a região célebre de Londres. Por fim, “Madrid Bullfight” fala sobre as touradas de Madri. Os episódios foram restaurados e relançados em alta qualidade em 2014. O Festival do Rio exibe Volta ao mundo com Orson Welles em duas sessões. Nesta primeira, são exibidos os episódios 4, 5 e 6.

Orson Welles

Orson Welles

Nasceu em Kenosha, Wisconsin, EUA, em 6 de maio de 1915. Foi ator, diretor, roteirista, dramaturgo e produtor para cinema, teatro e rádio. No teatro, dirigiu montagens que marcaram época. Em seu programa de rádio, fazia versões de obras clássicas e abalou o país ao adaptar A guerra dos mundos, de H. G. Wells. Esse foi seu passaporte para Hollywood, onde estreou aos 26 anos com Cidadão Kane (1941), pelo qual ganhou o Oscar de roteiro original. Bem recebido pela crítica, o filme ganhou reconhecimento internacional por suas inovações narrativas. Daí em diante, sua relação com Hollywood e produtores foi de altos e baixos, com projetos iniciados e deixados de lado, e outros modificados por terceiros. Dirigiu 11 longas completos, incluindo clássicos como Soberba (1942), A dama de Xangai (1947), A marca da maldade (1958) e O processo (1962), além de três adaptações de Shakespeare: Macbeth (1948), Otelo (1952) e Falstaff – O toque da meia-noite (1965). Faleceu em 1985, em Los Angeles.