Texto: Carol Matheus

Fotos: Eduardo Rocha

Na tarde desta quarta-feira (11/10), rolou o debate sobre o documentário O Muro que retrata a divisão política no Brasil com os eventos de 2016. O debate com cerca de 30 espectadores, teve presença do mediador Pablo Villaça, a produtora Leticia Montes e o diretor Lula Buarque.

Pablo começa conversando sobre a força do filme e como ele se torna angustiante e em seguida pergunta para o diretor como se iniciou oprojeto. Lula responde que com tudo o que estava acontecendo no país e com a cara de pau dos políticos chegarem em frente às câmeras dizendo que são inocentes. A partir deste momento, se veio a ideia de mostrar tudo o que estava acontecendo em Brasília, e ao ver o murosendo formado, ele se deu conta que o filme todo estava ali, no muro, que não só divide pessoas e sim famílias.

Pablo dá destaque para o ponto de vista narrativo, as vozes desassociadas as pessoas e a escolha da trilha sonora. O diretor responde que a inspiração veio das artes plásticas, onde os planos são longos e o espectador presta atenção em todos os detalhes. Quanto as vozes a ideia era que o espectador prestasse atenção na fala das pessoas, e não criassem nem empatia e nem afastamento do locutor. O diretor ressalta que ao longo do filme não aparece nenhum político, pois a ideia era mostrar a sociedade naquele momento.

Ao decorrer da conversa é levado em questão em como o muro ainda está metaforicamente de pé, e como no filme a polícia é retratada como um muro no filme. Para o diretor a polícia está como proteção do poder. Os espectadores também levantam a questão sobre o muro que estão querendo construir nos EUA. O diretor responde relatando que como foi um filme sem roteiro, e com a crescente dos acontecimentos no mundo, ele foi aos lugares e foram filmando. Que a ideia toda era mostrar uma sociedade vivendo ofuscada pelos muros.

O debate chegou ao seu final com Lula apontando para síntese final do final do filme, em que o muro a ser erguido é para dividir a sociedade dos intolerantes.




Voltar
SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA