A mostra Novos Rumos marca a presença, dentro da seleção da Première Brasil, de cineastas em seus primeiros trabalhos, expressando novas linguagens e caminhos do cinema. Este ano, oito longas foram selecionados, sendo seis ficções e oito documentários. O melhor filme da Novos Rumos será escolhida por um júri especializado. Confira a seguir as sinopses dos título.

Para ver os curtas selecionados, clique aqui.

Ficção

O EXERCÍCIO DO CAOS, de Frederico Machado

O filme narra em tons de suspense existencialista a história de um pai autoritário que vive com as três filhas adolescentes em uma fazenda de mandioca no interior do Maranhão. A família compartilha a ausência da mãe e lida com um estranho capataz que os explora enquanto persegue a inocência das meninas, divididas entre a ilusão da infância e a cruel realidade de suas vidas. Enquanto o eixo familiar desmorona pouco a pouco, os personagens, fragilizados, situam-se no limiar entre a razão e a loucura, entre o caos e a fé. Do diretor Frederico Machado em sua estreia em longas.

MAR NEGRO, de Rodrigo Aragão

Uma estranha contaminação atinge uma pequena vila de pescadores. Quando peixes e crustáceos se transformam em horrendas criaturas transmissoras de morte e destruição, o solitário Albino luta pelo grande amor da sua vida, arriscando a própria alma numa desesperada fuga pela sobrevivência. Do diretor Rodrigo Aragão, de Mangue negro (2008) e A noite do chupacabras (2011).

O MENINO E O MUNDO, de Alê Abreu

Sofrendo com a falta do pai, um menino deixa sua aldeia e descobre um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e estranhos seres. Uma inusitada animação realizada com diversas técnicas artísticas que retrata as questões do mundo moderno através do olhar de uma criança. Do diretor Alê Abreu, de Garoto Cósmico.

RIO CIGANO, de Julia Zakia - Estreia mundial!

A história da cumplicidade entre duas meninas ciganas, Kaia e Reka, separadas na infância e criadas em mundos distantes. Durante uma viagem, um grupo de ciganos se vê obrigado a atravessar a fazenda de um conde, de onde são expulsos. Em meio ao tumulto, uma das meninas se perde e é raptada pelo fazendeiro. Ela é criada no casarão da fazenda como servente da condessa. Reka cresce absorvida pelo trabalho e se agarra às poucas lembranças da vida cigana. Kaia é criada pela própria família, até deixar o acampamento e partir sozinha em busca de Reka. Estreia em longas da diretora Julia Zakia.

O RIO NOS PERTENCE, de Ricardo Pretti

Depois de receber um estranho cartão postal, Marina, uma jovem de 30 anos, decide voltar ao Rio de Janeiro, sua cidade natal, depois de uma ausência de dez anos. Marina não sabe exatamente porque voltou: busca respostas para acontecimentos estranhos, mas tudo parece cada vez mais confuso. O Rio de Janeiro parece estar sob um misterioso feitiço. O filme faz parte da Operação Sonia Silk, série de três filmes produzidos de forma cooperativa, com mesmo elenco e equipe. Do diretor Ricardo Pretti, de Estrada para Ythaca e Os monstros.

O UIVO DA GAITA, de Bruno Safadi

A história de amor entre Antonia, Luana e Pedro. O Porto do Rio de Janeiro, a famosa Casa das Canoas de Oscar Niemeyer e uma paradisíaca praia em Niterói com vista exuberante para a cidade do Rio de Janeiro são as locações onde os personagens vão flanar e viver seus desejos contemporâneos. O filme faz parte da Operação Sonia Silk, série de três filmes produzidos de forma cooperativa, com mesmo elenco e equipe. Do diretor Bruno Safadi, de Meu nome é Dindi e Éden.

 Documentário

CARIOCA ERA UM RIO, de Simplício Neto - Estreia mundial!

Documentário sobre o Rio que deu nome aos habitantes da cidade do Rio de Janeiro. Principal fonte de abastecimento de água por dois séculos, o Rio Carioca orientou o crescimento dessa capital, mas hoje é um grande canal de esgoto submerso que deságua na Baía da Guanabara. A História desse rio é a história do desenvolvimento urbano no Brasil. Do diretor Simplício Neto, de Onde a coruja dorme.

TÃO LONGE É AQUI, de Eliza Capai

A partir de memórias guardadas de uma longa viagem, uma carta é enviada para o futuro. Sozinha, longe de casa e às vésperas de completar 30 anos, uma brasileira parte em uma jornada pela África. Na carta para sua filha, ela conta dos encontros com mulheres que vivem em suas culturas e tempos. Um diário, um road movie e um convite a todas as pessoas que lideram seus próprios caminhos. Da Diretora Eliza Capai, em sua estreia em longas.



Voltar