Omara Portuondo, Caetano Veloso, Pablo Milanês, Chucho Valdés e Meme Solis são alguns dos artistas de alto quilate que já se apresentaram no “Gato Tuerto”, ícone da boemia culta de Havana, a capital cubana. De tão tradicional e relevante, o cabaré é tema de um documentário do diretor carioca Dacio Malta, que faz parte da Première Latina do Festival do Rio 2017. 

“O documentário conta a história do mais emblemático cabaré de Cuba, por onde passaram os mais importantes artistas do país”, destaca o diretor, na sessão de estreia que aconteceu na noite de 10 de outubro, no Kinoplex São Luiz. “Esse filme já passou em nove festivais internacionais, mas é uma grande oportunidade vê-lo na minha cidade, estreando aqui no Festival do Rio”.

O longa-metragem, que participou do 38o Festival de Cine Latinoamericano de La Habana, conta a história do cabaré, de seus criadores, artistas e frequentadores, como por exemplo Gabriel Garcia Márquez e Julio Cortázar, além de curiosidades. O local serviu de cenário para o bolero mais longo do mundo, registrado no livro de recordes Guinness.

Texto e foto: Bruna Velon



Voltar