Por: Dominique Valansi

Um dos grandes nomes do cinema mundial veio ao Rio de Janeiro exibir seu primeiro longa-metragem no Festival do Rio. Roteirista, produtor, compositor, professor e agora diretor, o americano James Schamus exibiu, na noite de 14 de outubro, o filme Indignação, em sessão de gala no Cinema Odeon.

Ao longo de sua carreira, ele escreveu nove filmes dirigidos por Ang Lee, entre eles clássicos como Banquete de Casamento (1993), Tempestade de gelo (1997), O tigre e o dragão (2000), Hulk (2005) e Aconteceu em Woodstock (2009). Como produtor, Schamus assina dezenas de filmes importantes como Felicidade (1998), de Todd Solondz; Auto Focus (2002), de Paul Schrader; Hulk (2003) e Brokeback Mountain (2005), de Ang Lee; e As Sufragistas (2015), de Sara Gavron.

“Eu nunca tinha pensado em dirigir um filme antes. Eu estava me divertindo tanto escrevendo, produzindo e dirigindo um estúdio. Então eu fui demitido desse meu cargo. Aí eu pensei, essa é uma boa hora!”, contou aos risos. Indignação é baseado no romance homônimo de Philip Roth, que narra a história do ambicioso e introspectivo Marcus Messner, filho único de um açougueiro kosher superprotetor. Ele acaba de entrar para a universidade, escapando assim de ser convocado para lutar na Guerra da Coréia.

Com um currículo de notas invejável, ele seria um aluno exemplar se não tivesse um temperamento irredutível em relação às convenções do campus. Para completar, ele ainda se apaixona, pela adorável e problemática colega de classe, Olivia Hutton.

“Eu realmente amo o livro porque eu amo os personagens. Quando se faz um filme, e demora muito para se realizar um, passamos muito tempo com os personagens. Eles se tornam nossa família. Então quando eu percebi o quanto eu gostava deles, pensei, posso ficar o tempo que for necessário com eles!”.

O filme, que já foi exibido no Sundance Film Festival e no Festival de Berlim 2016, tem produção do brasileiro Rodrigo Teixeira. “Eu já tinha vindo ao Brasil há 23 anos atrás. Eu amo o Rio, esta cidade é realmente especial para mim. E é como se eu estivesse trazendo o filme para casa por causa do nosso produtor. É realmente um filme brasileiro! É um orgulho para mim fazer parte dos filmes que ele está envolvido”, afirmou o diretor.

“O filme que vocês vão ver vai parecer um filme normal, quase antigo, mas na verdade ele é bem estranho. É um filme sobre pessoas que a cada tantos minutos para e olham para a câmera, para eu lembrar de olhar para vocês. Esse, na verdade, é um presente de Philip Roth”.

O diretor ainda agradeceu aos voluntários do Festival. “Um evento como esse não acontece sem voluntários, sem equipe. E eu quero agradecer a todo esse pessoal que estou tendo contato. E é sempre muito bom que eles possam ver filmes, estarem aqui e é muito bom ver uma nova geração chegando”.

Para assistir ao trailer de Indignação, clique aqui: http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/indignation  




Voltar