O cineasta inglês Mike Figgis não dirigia um longa desde 2008, quando lançou o drama Love Live Long. Revelado em 1995 com o visceral Despedida em Las Vegas, pelo qual foi indicado ao Oscar, o diretor ficou conhecido por títulos como Por uma noite apenas e o complexo Timecode, que investia em uma nova maneira de narrar ao dividir a tela em quatro partes. Esse ano, ele está de volta com mais um filme recheado de inovações narrativas.

Suspensão da realidade, que estreou na competição do Festival de Roma, é um suspense sobre Martin, talentoso roteirista e escritor que enfrenta um momento difícil em sua carreira. É quando, na festa de 21 anos de sua filha, conhece a misteriosa Angelique. Dois dias depois, o corpo da moça é encontrado em um canal, trazendo à cena sua irmã gêmea, Therese. Martin fica intrigado com as similaridades entre a morte de Angelique e a de sua esposa, dez anos antes, pela qual ele ainda é considerado suspeito. O longa desafia a narrativa formal ao se construir a partir de uma cronologia não linear, constantemente questionando o que é real e o que é imaginado. Estrelado pelo alemão Sebastian Koch, de A vida dos outros e A espiã, Suspensão da realidade será exibido na mostra Panorama do Festival do Rio. Assista a seguir ao trailer do filme.



Voltar
SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA