Oito filmes disputam o Prêmio Redentor entre os longas de ficção no Festival do Rio 2016. De um lado, enredos que enveredam pelos meandros dos afetos e das paixões; do outro, histórias que falam de como sobreviver a um cotidiano de tensão e violência. Em todos eles, as emoções fortes dos personagens estão em primeiro plano, observados pelas lentes de diretores de estilos bem diferentes. Por isto a competição do Festival do Rio 2016 para longas de ficção promete grandes desempenhos de atores e atrizes brasileiros de várias gerações.  

Basta passear pelas sinopses dos oito filmes para perceber a variedade de situações dramáticas e de conflitos que servem ao talento de bons intérpretes. Num deles (Vermelho Russo, de Charly Braun), duas jovens atrizes em crise com a profissão viajam juntas para a Rússia. Noutro, (Redemoinho, de José Luiz Villamarin), dois amigos de infância se reencontram no interior de Minas Gerais, relembram o passado e partem para um acerto de contas. Em Fala Comigo, de Felipe Sholl, um jovem se apaixona por uma paciente de sua mãe psicanalista.

Os conflitos e as alegrias entre pais e filhos são tema de outros dois filmes. Em Mulher do Pai, de Cristiane Oliveira, pai e filha tentam aprender os caminhos de uma relação afetuosa. E em O filho eterno, de Paulo Machline, um pai enfrenta um redemoinho de emoções ao saber que seu filho tem síndrome de Down, num roteiro baseado em romance de Cristóvão Tezza.

O cotidiano tenso de médicos que, diante da falta de recursos de um hospital público, precisam decidir entre a vida e a morte de pacientes é o tema de Sob Pressão, dirigido por Andrucha Waddington. Já a diretora Eliane Caffé, em Era o Hotel Cambridge, conta a história da ocupação de um edifício abandonado no centro de São Paulo por refugiados recém-chegados ao Brasil, que se juntam a trabalhadores sem-teto. E por fim, os conflitos de um pistoleiro aposentado que tenta voltar à ativa estão no centro da trama de Comeback, de Erico Rassi.


Saiba mais sobre os filmes de longa metragem em competição no Festival do Rio 2016


Vermelho Russo (Vermelho Russo

De Charly Braun. Com Martha Nowill, Maria Manoella, Soraia Chaves, Esteban Feuni de Colombi, Michel Melamed, Elena Babenko e Mikhail Troynik. Brasil/Russia, 2015. 90 min. DCP. Marta e Manu são duas jovens atrizes em crise com a profissão. A fim de se reinventarem, decidem encarar o inverno russo para se aprofundar na famosa técnica de interpretação criada pelo ator Constantin Stanislawski. Entre nevascas, brigas, paixões e muitas doses de vodka, suas personagens acabam por extrapolar os limites da cena e da amizade, fazendo com que sejam constantemente testadas pelo rigor do teatro e por uma Rússia majestosa e difícil. Vermelho Russo será exibido na sessão do filme O Estacionamento. 

Premiere Brasil: Competição longa ficção, LP, 12 anos.




REDEMOINHO (Redemoinho)
de José Luiz Villamarim. Com Irandhir Santos, Julio Andrade, Cássia Kis Magro, Dira Paes, Camilla Amado, Démick Lopes, Cyria Coentro, Inês Peixoto. Brasil, 2016. 100min,DCP.
Luzimar e Gildo são dois grandes amigos de infância que se reencontram depois muitos anos afastados. Eles cresceram juntos em Cataguases, interior de Minas Gerais. Luzimar nunca saiu de sua cidade e trabalha numa fábrica de tecelagem. Gildo se mudou para São Paulo, onde acredita ter se tornado um homem mais bem sucedido. Na noite de Natal, Luzimar e Gildo se confrontam com o passado e, num intenso e turbulento mergulho na memória, partem para um perigoso acerto de contas.
Première Brasil: Competição longa ficção  LP - 14 anos


FALA COMIGO (Fala Comigo)
de Felipe Sholl. Com Karine Teles, Tom Karabachian, Denise Fraga, Emílio de Mello, Anita Ferraz.. Brasil, 2016. 92min,DCP.
Diogo, 17 anos, gosta de ligar para as pacientes da sua mãe psicanalista e se masturbar enquanto as ouve. Uma dessas pacientes é Ângela, 43, que acabou de ser abandonada pelo marido. Quando Diogo liga para Ângela e não fala nada, ela pensa ser o marido na linha. Ao descobrir que é Diogo, sente raiva, repulsa. mas principalmente sente-se atraída por essa pessoa que liga para ela todo dia. Apaixonados, eles precisam encontrar uma maneira de permanecerem juntos. Mas os obstáculos são inúmeros.
Première Brasil: Competição longa ficção - , LI - 12 anos


MULHER DO PAI (Mulher do pai)
de Cristiane Oliveira. Com Maria Galant, Marat Descartes, Verónica Perrotta, Amélia Bittencourt, Áurea Baptista. Brasil / Uruguai, 2016. 94min, DCP.
Em uma pequena comunidade próxima à fronteira do Brasil com o Uruguai, uma relação entre pai e filha se transforma. Ele é Ruben, um homem de 40 anos que ficou cego ainda jovem. Ela é Nalu, uma adolescente de 16 anos que está se tornando mulher. Eles precisarão aprender a se tratar como pai e filha depois da morte de Olga, mãe de Ruben - forte e superprotetora, que os criou quase como irmãos. O afeto que surge entre ambos entra em conflito quando Rosario, uma atraente uruguaia, ganha espaço em suas vidas. Este filme será exibido na sessão do filme O Ex-Mágico
Première Brasil: Competição longa ficção - LI - 12 anos


SOB PRESSÃO (Sob pressão)
de Andrucha Waddington. Com Júlio Andrade, Ícaro Silva, Marjorie Estiano, Andréa Beltrão, Stepan Nercessian. Brasil, 2016. 90min,DCP.
Em um dia bastante tenso, com um cenário típico de guerra, os médicos de um hospital público, acostumados com uma dura realidade, vão ter que enfrentar mais uma tensa decisão quando três pacientes em estado grave precisam de socorro ao mesmo tempo. Com poucos recursos, eles precisam atender a todos e lidar com as pressões sociais daquela situação.Este filme será exibido na sessão do filme O homem da raia do canto
Première Brasil: Competição longa ficção - LP - 16 anos


ERA O HOTEL CAMBRIDGE (Era o Hotel Cambridge)
de Eliane Caffé. Com Carmen Silva, José Dumont, Isam Ahmad Issa, Suely Franco. Brasil / França / Espanha, 2016. 90min, DCP.
A trajetória de refugiados recém-chegados ao Brasil que, juntos com trabalhadores sem-teto, ocupam um velho edifício abandonado no centro de São Paulo. Em meio à tensão diária da ameaça do despejo, revelam-se dramas, situações cômicas e diferentes visões de mundo.
Première Brasil: Competição longa ficção - , LP - 12 anos


COMEBACK (Comeback)
de Erico Rassi. Com Nelson Xavier, Marcos de Andrade, Gê Martú, Everaldo Pontes.. Brasil, 2016. 83min, DCP.
Amador é um ex-pistoleiro aposentado e relegado ao ostracismo. Solitário e amargurado, coleciona em um álbum os recortes de jornal de seus crimes antigos. Após várias humilhações, ele vai reagir com violência à hostilidade do mundo que o cerca, enquanto tenta voltar à ativa. Este filme será exibido na sessão do filme Postergados
Première Brasil: Competição longa ficção - , LI - 14 anos



O FILHO ETERNO
(O filho eterno)
de Paulo Machline. Com Marcos Veras, Débora Falabella, Pedro Vinícius. Brasil, 2016. 82min,DCP.
Roberto, escritor ainda não publicado, está seguro de que o nascimento do filho é o marco para uma nova vida. No entanto, seu sonho ganha um sabor amargo e ele terá de se habituar com uma ideia diferente - ser pai de Fabrício, uma criança com síndrome de Down. A notícia provoca em Roberto uma enxurrada de emoções contraditórias. Ele se mostra envergonhado com a situação e insatisfeito com seus desdobramentos profissionais e na sua relação com Cláudia. Numa jornada de 12 anos, conflitos e descobertas irão revelar o significado da paternidade.
Première Brasil: Competição longa ficção - LI - 12 anos




Voltar
SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA