O diretor e teórico do cinema Jean-Claude Bernadet considera "#eagoraoqu) uma experiência transformadora, tanto para ele como para Rubens Rewald, co-diretor do filme, como para Vladimir Safatle, um dos protagonistas, fazendo dois papéis – o de si mesmo e o do personagem central, um intelectual e músico, como ele. O outro protagonista é o próprio Bernardet, atuando como consciência crítica do intelectual e também como si mesmo.



Voltar