O Festival do Rio é de Niterói também. Na cidade vizinha, a programação do maior festival de cinema da América Latina ocupa três pontos: as salas Reserva Cultural Niterói e Cine Arte UFF, além do Museu de Arte Contemporânea. Hoje, o Reserva Cultural Niterói 1 vai exibir dois pesos-pesados: “Se a rua Beale falasse” (foto), de Barry Jenkins (diretor do vencedor do Oscar “Moonlight”), às 19h, e “Imagem e palavra”, de Jean-Luc Godard, às 21h15. Nos próximos dias estão escaladas, entre outras atrações, “No portal da eternidade”, um olhar de Julian Schnabel sobre o pintor Van Gogh, na terça (6/11), às 21h, e “A casa que Jack construiu”, novo filme de Lars von Trier, no domingo (11/11), às 16h.

No Cine Arte UFF, a produção nacional é representada por novidades como “Ilha”, de Ary Rosa e Glenda Nicácio (diretores do premiado “Café com canela”), dia 7/11, às 19h, e clássicos, a exemplo de “Central do Brasil”, de Walter Salles, que volta à tela em cópia restaurada no dia 11/11, às 19h. A programação do Festival do Rio em Niterói traz ainda um programa que promete: sessões gratuitas, ao ar livre, no vão do Museu de Arte Contemporânea de Niterói. No cartão-postal, o público vai assistir a “Altas expectativas”, de Alvaro Campos e Pedro Antônio Paes, às 19h de sexta (9/11), e “Detetives do prédio azul – o filme”, de André Pellenz, no sábado (10/11), às 19h.




Voltar