Produções nacionais importantes e filmes de diretores consagrados fazem parte da Mostra Hors-concours da Première Brasil, do Festival do Rio 2018. Esta edição reúne 18 filmes fora de competição: três curtas, quatro longas documentário e oito longas-metragens de ficção.

O curta-metragem "Conversa com ele", dirigido por Bárbara Paz, apresenta uma conversa hipotética sobre a amizade entre o médico Drauzio Varella e o diretor Hector Babenco, falecido em 2016. Já "O mundo é para ninguém se esconder nos cantos - Parte 1: Refúgio" é parte de uma série documental sobre a diáspora LGBTQ+, obra do diretor Leandro Goddinho. O filme fala sobre um jovem africano que foi forçado a fugir da Nigéria para se salvar da condenação à pena de morte. Por sua vez, "Pura mensagem", de Tamur Aimara e Paulo China, é o mergulho nas fontes de inspiração e criatividade do artista João Salomão.

Entre os longas documentários, há uma grande diversidade temática. Um jovem sírio que aguarda, no aeroporto em Tempelhof, a decisão das autoridades em relação à sua permanência no país é o enredo da obra de Karim Ainouz, "THF: Aeroporto Central". Já Humberto Mauro", de André di Mauro, presta uma homenagem a um dos pioneiros do cinema brasileiro, diretor de clássicos como  “A Voz do Carnaval” e “Ganga Bruta”. O filme "Amazônia, o Despertar da Florestania" marca a estreia de Christiane Torloni como diretora, ao lado de Miguel Przewodowski. A produção aborda ações de cidadania e direitos florestais. E "Excelentíssimos", de Douglas Duarte, apresenta a recente crise política do país, que terminou com o  impeachment da presidente Dilma Rouseff.

Os filmes hors-concours ficção reúnem um time de diretores consagrados. Jorge Furtado apresenta uma adaptação da peça "Rasga Coração", de Oduvaldo Vianna Filho. Domingos Oliveira leva a crise de um casal de atores para as telas em "Aconteceu na quarta-feira”. Estrelado por Marina Ruy Barbosa, "Sequestro Relâmpago", de Tata Amaral, narra a noite violenta de uma refém. Em "Uma Noite Não é Nada", de Alain Fresnot, um professor de supletivo casado, se apaixona por uma aluna drogada e soropositiva.  

As produções também passam curiosos personagens: "Simonal", de Leonardo Domingues, narra a trajetória do polêmico cantor; "Diamantino", de Gabriel Abrantes e Daniel Schmidt, aborda o declínio do maior jogador de futebol do mundo que passa a lutar contra diversas causas como o neofascismo e a crise dos refugiados; "Correndo Atrás", de Jefferson De, traz a história de Ventania, que quer ser empresário do futebol e Glanderson, um jogador que não tem dois dedos do pé.

Completam a mostra "A voz do silêncio", de André Ristum, onde um eclipse pontua mudança na vida de pessoas anônimas de uma cidade grande; "Intimidade entre estranhos", José Alvarenga Jr, em que a mulher de um ator desenvolve uma relação de proximidade com o síndico de seu prédio; "Los Silencios", de Beatriz Seigner, sobre uma família em uma ilha assombrada no meio do Amazonas; e "Sueño Florianópolis", de Beatriz Katz; em uma viajem para o Brasil vai mudar a vida de uma família Argentina.

Os ingressos para as sessões do Festival já estão disponíveis em nosso site, assim como o restante da programação. O Festival do Rio é realizado através da lei de Incentivo do Ministério da Cultura, patrocínio da PETROBRAS e demais apoiadores e parceiros.



Voltar