“Longe da árvore: pais, filhos e a busca de identidade”, do escritor, ativista e conferencista americano Andrew Solomon, ocupou o topo da lista dos livros mais vendidos no jornal The New York Times. A obra e suas relevantes reflexões, sobre desafios em família, compreensão da diferença e o amor como ferramenta de superação, inspiram o documentário “Longe da árvore”, de Rachel Dretzin, atração do Festival do Rio que ganha sessão gratuita hoje, às 17h30, no Centro Cultural Justiça Federal (Av. Rio Branco, 241, Cinelândia). A exibição do filme será seguida de debate com mediação de Claudia Werneck, defensora da inclusão e fundadora da ONG Escola de Gente. Os convidados são Lucinha Araujo, mãe do cantor Cazuza e fundadora da Sociedade Viva Cazuza, a cantora Olivia Byington, autora do livro “O que é que ele tem”, e Marcos Nisti, CEO do Instituto Alana, organização da sociedade civil voltada para o direito e o desenvolvimento da criança e novas formas de bem viver.




Voltar
SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA