Um elenco de estrelas _ Marion Cotillard, Vicent Cassel, Léa Seydoux, Gaspard Ulliel, Nathalie Baye _ e muita polêmica. Este é o rastro deixado pelo mais recente filme do cineasta canadense Xavier Dolan,É Apenas o Fim do Mundo (Juste La Fin Du Monde),que estreia hoje no Festival do Rio 2016. O filme, que deu ao diretor o Grande Prêmio do Juri  em Cannes 2016, foi tema de um bate boca entre Dolan e jornalistas, a ponto de o diretor desistir de apresentar seu próximo filme na Riviera francesa, em protesto contra críticas, que ele chama debullingnuma cultura que adora otrolling.

É Apenas o Fim do Mundodesafinou o coro dos contentes. O filme chegou a receber vaias em sessões para imprensa e quebrou a quase unanimidade em torno da fama de cineasta prodígio de Dolan. Quando se fala no nome de Dolan, logo se pensa no sucesso quase instantâneo de seus filmes no Festival de Cannes, a ponto de transformá-lo, aos 27 anos e com apenas oito filmes num dos mais premiados diretores dos circuitos europeus de cinema. Foi assim já com seu primeiro longa,Eu Matei Minha Mãe(de 2009), premiado na mostra Director´s Fortnight em Cannes;  com Amores Imaginários(2010), que ganhou o Regard Jeune Prize em Cannes; com Lawrence Anyways(2012), com a Queer Palm de Cannes; comTom na Fazenda(2013, premio Fipresci no Festival de Veneza);Mommy(que ganhou o Prêmio do Jury de Cannes em 2014, além do Cesar e do David Donatello de melhor filme estrangeiro).

O filme que estreia no Cine Odeon às 21h15m é baseado numa peça de teatro de Jean-Luc Lagarce e conta a história de um escritor que volta à casa de sua mãe para contar que está  gravemente doente. A notícia faz explodir antigas mágoas e rancores persistentes na família. Mais uma vez, o cineasta mergulha num universo de alta voltagem emocional, na companhia de alguns dos melhores atores franceses da atualidade. O resultado é eletrizante, por conta do depempenho do elenco e também pela câmera de Dolan, sempre muito afeita aos closes e às tormentas familiares. O enredo foi adaptado pelo próprio Dolan, como em seus outros filmes. É bom lembrar que, embora tenha apenas oito filmes como diretor (e mais um em pós-produção para 2017), Xavier Dolan tem uma longa experiência como ator, tendo iniciado sua participação no cinema e na TV com apenas 5 anos.

É Apenas o Fim do Mundo tem sessões nos dias 11, 14, 15 e 16 de outubro no Festival do Rio

Saiba mais sobre o filme e as sessões:

É Apenas o Fim do Mundo (Juste la Fin Du Monde), direção Xavier Dolan. Com Marion Cotillard, Vincent Cassel, Léa Seydoux, Garpard Ulliel, Nathalie Baye.

Após 12 anos distante, um escritor retorna a sua cidade natal para contar à família sobre sua morte iminente. Mas o ressentimento logo altera seus planos para aquela tarde, dando lugar a rixas que alimentaram e ainda alimentam solidão e dúvidas, enquanto todas as suas tentativas de empatia são sabotadas pela incapacidade das pessoas em ouvir e amar. Neste seu novo filme, Xavier Dolan adapta a peça homônima de Jean-Luc Lagarce. Com Léa Seydoux, Marion Cotillard e Vincent Cassel. Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2016. ​

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/juste-la-fin-du-monde




Voltar