Conheça os júris do Festival do Rio 2018.


                                                   Première Brasil – Ficção e Documentário


HEBE TABACHNIK 
Trabalha há 20 anos como programadora de filmes e consultora de festivais em todo o mundo, desde os EUA até a China. Ela é programadora sênior de cinema mundial dos festivais internacionais de Seattle e de Palms Springs, é diretora artística do Cine Latino Minneapolis St. Paul e é curadora sênior do Festival Internacional de Cinema de Cartagena. Ela trabalhou para o Festival de Cinema de Sundance e Los Angeles e foi diretora e produtora do Festival de Cinema de Guadalajara, em Los Angeles.

JOEL ZITO ARAÚJO
Diretor, roteirista, produtor e escritor, conhecido por tematizar o negro na sociedade brasileira. Sua obra inclui o livro e filme A negação do Brasil, ganhador do Festival É Tudo Verdade em 2001, o longa ficcional As filhas do vento (2005), ganhador do Festival de Tiradentes e de 8 Kikitos no Festival de Gramado, os docs Cinderelas, lobos e um príncipe encantado (2009), e Raça (2013).

KOBY GAL-RADAY
Uma peça chave da TV israelense e internacional, Gal-Raday é atualmente Diretor-Executivo de Conteúdo do Yes, principal provedor de TV israelense. Ele trabalhou em diferentes posições de alto-escalão no cinema e na TV, tanto na Alemanha, quanto em Israel. Seus créditos como produtor e editor de roteiros incluem diversos títulos para cinema e TV premiados e aclamados internacionalmente, como “O Filho de Saul”, ganhador do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2015.

THOMAS ORDONNEAU
Criou e dirige o selo Shellac, de desenvolvimento de novos talentos, além de pesquisa cinematográfica. O trabalho da empresa, em especial na revelação de novos talentos, foi premiado com o Caméra d´Or no Festival de Cannes 2017. A Shellac tem atuação em festivais a exemplo de Cannes, Locarno, Toronto e Berlim. Hoje, opera com produção, distribuição VOD, vendas internacionais e exploração cinematográfica.

LÚCIA MURAT
É uma das cineastas brasileiras mais premiadas dos últimos anos. Depois de trabalhar como jornalista em importantes jornais e televisões do país, começa a se destacar, a partir dos anos 80, com produções independentes na área audiovisual. Seus filmes receberam inúmeros prêmios, com presença marcante nos principais festivais internacionais, como Festival de Berlim, Toronto Film Festival, Sundance Film Festival, entre outros.


                                                    Première Brasil – Novos Rumos

TATIANA LEITE
Integrou o comitê de seleção do Festival do Rio por nove anos. Realiza mostras e festivais independentes, a exemplo da retrospectiva completa de Yazujiro Ozu. Foi assessora internacional da SEC-RJ de 2009 a 2012. Criou a produtora Bubbles Project, pela qual foram produzidos filmes como Aspirantes, de Ives Rosenfeld, Pendular, de Julia Murat, Benzinho, de Gustavo Pizzi, e Família submersa, de Maria Alché.

BABU SANTANA
Alexandre da Silva Santana, 38 anos, ator, carioca do Vidigal. Integrante,
durante 15 anos, do grupo de teatro Nós do Morro. Trabalhou em mais de 40
filmes, entre longas e curtas, além de 15 novelas, diversas séries de TV e programas. Tem nove prêmios concedidos por instituições como o Festival do Rio e a Academia Brasileira de Cinema.

JOÃO LUIZ VIEIRA
Doutor em Cinema Studies - New York University, pós-doutor no Department
of Film and Television Studies da Universidade de Warwick, Inglaterra. Professor titular do Departamento de Cinema e Vídeo e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Cinema e Audiovisual da UFF. Parecerista, 
crítico, ensaísta e membro de diversos conselhos editoriais, é autor de inúmeros textos, críticas, ensaios, capítulos e livros publicados no Brasil e exterior.


                                                            Prêmio Felix

ADRIANA L. DUTRA
Documentarista e diretora executiva do Grupo Inffinito, responsável pela idealização, realização e curadoria de 81 edições do Circuito Inffinito de Festivais, composto por festivais de cinema brasileiro em 10 cidades pelo mundo: Miami, New York, Londres, Barcelona, Madri, Roma, Buenos Aires, Vancouver, Montevidéu e Canudos. Dirigiu, roteirizou e produziu diversos conteúdos no setor audiovisual.

CLAUDIA SALDANHA
É professora assistente da UERJ. Possui mestrado em artes visuais e é doutoranda do curso de artes da UERJ. Foi curadora no MAC de Niterói (2006 a 2008) e diretora da Escola de Artes Visuais do Parque Lage (2008 a 2014). É diretora do Paço Imperial desde 2014.

FELIPE SHOLL
Nasceu no Rio de Janeiro, em 1982. Seu primeiro longa, Fala comigo, ganhou os prêmios de melhor filme e melhor atriz no Festival do Rio 2016 e foi exibido no BAFICI 2017 e no Festival de Havana 2017. Seu primeiro curta, Tá (2007), foi exibido no Festival de Berlim e ganhou o Teddy Award de melhor curta (para filmes LGBT) em 2008. Como roteirista, Felipe é creditado em oito longas.

VICENTE DE MELLO
É fotógrafo e curador. Desde 1990, reflete em sua obra a tradição histórica dos códigos da linguagem cinematográfica, criando um léxico visual estilístico como nas séries Noite americana e O cinematógrafo. Ganhou em 2007 o APCA de melhor exposição de fotografia com moiré.galáctica.bestiário, na Pinacoteca do Estado - SP, exibida no mesmo ano na Maison Européenne de la Photographie, em Paris, França. Ama a Rolleiflex.


                                                            Prêmio Geração

MARCUS TADEU DE SOUZA TAVARES
Jornalista, professor e pesquisador. Doutor em Educação pela PUC-Rio. Leciona na rede FAETEC-RJ e na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-Rio). É gerente de formação de professores da Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto -ACERP/TV Escola.

MARCIA COSTA RODRIGUES
Sócia-fundadora e diretora executiva do Cinema Nosso. Diretora do festival CineMundo e do Rio Indie Games. Consultora em Economia Criativa do Sebrae/RJ. Formada em Cinema e Televisão – FGV, graduada em Serviço Social pela UERJ.

CIRO SALES
Ator, produtor e gestor cultural. Atuou e produziu peças de teatro, cinema e TV. Com Formação no Théâtre du Soleil, na Royal Shakespeare Company, na Escuela de Cine y Televisión de Madrid e na Broadway Dance Center, em Nova York. Foi Diretor de Fomento à Cultura no Governo da Bahia.

                                                        Prêmio FIPRESCI


EDUARDO VALENTE

Cineasta, crítico e curador. Dirigiu três curtas e um longa-metragem. Foi editor das revistas Contracampo (1998-2005) e Cinética (2006- 2011) e assessor internacional na Ancine (2011-2016). Diretor artístico do Festival de Brasília entre 2016 e 2018. Atualmente é delegado para o Brasil do Festival de Berlim.

 OLIVIER PELISSON 

Crítico de cinema francês, faz parte do conselho editorial da revista on-line Bande à Part e escreve para a Short, dedicada a curtas-metragens. Foi membro do comitê de seleção da Semaine de la Critique, em Cannes. É um dos colaboradores do Dicionário Eustache, publicado por Leo Scheer.

LUCIANA COSTA ALMEIDA 

Jornalista e membro da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ). Especializada em Marketing pela Universidade Foco ANJE, em Portugal. Criadora e redatora do site Cinematizando.

TATIANA TRINDADE 

Tatiana Trindade é jornalista e membro da Associação de Críticos de  Cinema do Rio de Janeiro. Editora na produtora Gaveta Filmes e nos portais Cine Eterno e Central 42.

SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA