• E agora? Lembra-me
  • E agora? Lembra-me
  • E agora? Lembra-me
  • E agora? Lembra-me
  • E agora? Lembra-me

Convivendo com o HIV e a hepatite C há quase 20 anos, o diretor Joaquim Pinto documenta sua experiência por clínicas clandestinas onde, durante um ano, fez uso de drogas ainda não aprovadas para o tratamento do vírus. O filme propõe uma reflexão aberta sobre o tempo e a memória, as epidemias e a globalização, e a sobrevivência para além das expectativas. Em uma narrativa de idas e voltas entre o presente e o passado, o documentário é também um tributo aos amigos que partiram e aos que permanecem em sua luta contra a doença. Prêmio especial do júri e FIPRECI no Festival de Locarno 2013.

Joaquim Pinto

Nasceu em 1957 no Porto. Formou-se pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, e é responsável pelo som de obras de diretores como Manoel de Oliveira e Raul Ruiz. Em 1988, dirigiu e produziu Uma pedra no bolso, e, no ano seguinte, Recordações da casa amarela, filme de João César Monteiro, vencedor do Leão de Prata em Veneza 1989. De sua filmografia como diretor, destacam-se ainda Das tripas coração (1992) e Onde bate o Sol (1989).

 




SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA