A direção do Festival mais uma vez tem a honra de celebrar uma nova edição do Festival do Rio, este ano em sua vigésima-primeira edição. Todos sabemos da importância da cultura em nosso país. E, não por acaso, lutamos tanto pela realização desta edição. Porque acreditamos no poder do audiovisual, nos compromissos estabelecidos deste setor com a sociedade, com o país e para além das fronteiras nacionais. Só podemos desejar uma salva de palmas para o cinema, para o Festival do Rio e para todos que investiram nesta viabilidade!

Um ano diferente com o Festival do Rio em dezembro. Um ano em que o Festival do Rio existe pelo apoio dos muitos colaboradores, apoiadores, produtores e amigos do mundo todo. Um ano em que o Festival do Rio mantém sua tradição e garante à cidade e ao seu público fiel uma seleção compacta de cerca de 100 filmes estrangeiros, com os grandes highlights do ano e os filmes mais esperados da próxima temporada. Filmes para os cinéfilos e para todos os públicos. E ainda uma enorme janela das produções brasileiras na Première Brasil.

Arturo Ripstein, Ken Loach, Terrence Mallick, Serge Losnitza, Lav Diaz, Clint Eastwood, Celine Schiamma, Jim Jarmusch, Christoph Honoré, Abel Ferrara, Ira Sachs, Marco Bellocchio, os irmãos Dardenne, Pedro Costa, Xavier Dolan, Werner Herzog, Marielle Heller, Robert Eggers, Alain Cavalier, e muitos outros tem encontro marcado com o público do festival ao longo de 11 dias em 15 cinemas da cidade.

De 9 a 19 de dezembro o público vai ter a oportunidade de conferir filmes estrangeiros e brasileiros, os premiados, os mais comentados, descobrir raridades, votar no melhor da Première Brasil, participar de debates, sessões especiais. E ainda das palestras e oficinas no RioMarket, área de negócios do Festival, que este ano vai ocupar o Othon Palace, em Copacabana. 

Cinema é indústria. Cinema é cultura e a nova economia. Unir essas pontas no Festival do Rio é uma vitória. Uma programação concebida para divertir, emocionar, estimular discussões e fortalecer o mercado audiovisual. Para enfrentar estes tempos, a recomendação é uma só: vá ao cinema. 

Somos muitos pelo cinema!