• Meia Hora e as manchetes que viram manchete
  • Meia Hora e as manchetes que viram manchete
  • Meia Hora e as manchetes que viram manchete

No Meia Hora, tabloide carioca de manchetes bem-humoradas e abordagens inusitadas, tiro vira "pipoco"; facção criminosa é "bonde sinistrão"; bandido escondido "tá malocado", vivo "toca o terror", e morto "levou ferro"; a polícia, quando invade, "dá sacode", quando atira, "senta o dedo", quando prende, "mete em cana"; cadeia fica melhor como "tranca", "jaula" ou "xilindró"; ladrão de galinha é "vagabundo"; estuprador é "monstro"; o exterior é tratado de "no estrangeiro"; e mulher bonita ganha adjetivos hortifrutigranjeiros como morango, melancia, maçã, cereja e jaca.

Angelo Defanti

Angelo Defanti

Nasceu em 1983 em Niterói. Formado em cinema, atua como diretor, roteirista, produtor e curador. Realizou curtas como Maridos, amantes e pisantes (2008); A melhor idade (Festival de Gramado 2011); Feijoada completa (2012); Sant'Anna (2013); Um dia (2014). Atualmente, assina a direção geral da série HQ – Edição especial para a HBO Brasil.




SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA