Texto: Bruna Velon: 

Fotos: Christian Rodrigues/R2

“Estou muito emocionada por estrear este filme no Festival do Rio. Eu sou uma carioca apaixonada e acho que o Rio merece, neste momento tão difícil, que a gente prestigie a cidade. É uma alegria também fazer um filme baseado na história de Garcia Rosa”, disse a atriz Claudia Abreu, protagonista do filme Berenice Procura, no palco do Estação Net Botafogo, na noite de sábado. 

“Estrear um filme neste momento é muito importante. Nós artistas não vamos nos calar diante desta onda conservadora no país. Nenhum projeto de poder perigoso e moralista vai nos calar, vai calar a cultura, que é a nossa alma, a alma deste país”, disse a atriz, que foi ovacionada pela plateia que lotava a sala.

O filme, dirigido por Allan Fiterman, narra a história de Berenice, uma taxista. Ela é consumida pela profissão e o pouco tempo que lhe sobra precisa ser dividido entre a criação do filho Thiago, um adolescente descobrindo sua sexualidade, e sua conturbada relação com o marido Domingos, repórter policial. As marcas do relacionamento desgastado, arruinado pelos rompantes violentos do marido, apagaram sua feminilidade e a levaram a um grande vazio existencial. O assassinato de Isabelle, uma linda transgênero, na praia de Copacabana, acende seu lado investigativo e transforma sua vida.

No elenco, Cláudia Abreu, Eduardo Moscovis, Vera Holtz, Valentina Sampaio e Emílio Dantas. Próximas sessões: segunda (09/10), às 16h15, no Roxy 2; e quarta (11/10) às 21h no Reserva Cultural Niterói 2.



Voltar