Numa seleção rigorosa de filmes e diretores como a que é feita no Festival do Rio, são raros os cineastas que merecem atenção redobrada. Mas, nesta edição de 2016, há cineastas que chegam ao Rio com mais de um filme. E quatro deles estão na mostra Panorama deste ano: Jim Jarmusch (com os filmes Paterson e Gimme Danger), Terence Davies (com Uma paixão tranquila e A canção do pôr do sol), Wang Bing (com Ta’ang e Dinheiro Amargo),  Bertrand Bonello (com Sarah Winchester, Ópera Fantasma e Nocturama). Todos com filmes que mereceram atenção especial da crítica  especializada internacional em 2016.

São estilos diferentes, escolas e formações bem distintas. Cineastas que transitam entre documentário e ficção, que abordam temas radicalmente diversos, debatendo épocas e sociedades díspares. Mas em todos eles a maestria da linguagem cinematográfica fez com que seus filmes fossem elogiados pela crítica e muito bem recebidos pelo público de outros festivais de 2016 como o de Cannes, Toronto e San Sebastian.

Um dos mestres do cinema documentário contemporâneo, o chines Wang Bing, por exemplo, traz dois títulos impressionantes sobre a vida em seu país. O primeiro, Dinheiro Amargo, fala sobre a periferia das grandes cidades do leste que, apesar do crescimento explosivo, oferecem condições aviltantes de trabalho e moradia, fazendo do filme uma crônica amarga dos subterrâneos da economia que mais cresce no mundo. E outro filme fala uma surda guerra civil que ocorre na fronteira chinesa com a Birmânia, onde o grupo Ta’ang, de minoria étnica, foi forçado a migrar de suas terras, vagando por montanhas remotas em barracas improvisadas.

O francês Bertrand Bonello, que escandalizou Cannes em 2014 com uma versão sexo-drogas da vida de Saint Laurent, chega ao Rio com Nocturama e Sarah Winchester, opera fantasma. O primeiro fala de um grupo de terroristas franceses que executa uma série de atentados em Paris e depois se refugia numa loja de departamentos desocupada. O filme foi escrito e planejado muito tempo antes dos atentados de Paris em 2015 e tomou a forma de um presságio aterrador. É uma incursão de alta voltagem política do cineasta pelo universo das revoltas de periferia, dos jovens imigrantes, do pânico que sacode as ruas da capital francesa.

Sarah Winchester, ópera fantasma tematiza a herança cultural milenar de Paris, fazendo seus personagens passearem entre uma peça na Ópera da Bastilha e um espetáculo de dança na Ópera Garnier. Músicos, cantores e dançarinos ensaiam um espetáculo sobre a loucura, sobre as casas de espetáculos e seus fantasmas.

O cineasta americano Jim Jarmusch fala de seus temas preferidos: música e poesia. Com linguagens contrastantes. Paterson é um longa de ficção ambientado numa cidade interiorana do estado de New Jersey e conta a história de um motorist de ônibus que escreve poemas em torno de fragmentos de conversas que escuta pelo  caminho. Gimme danger é um documentário sobre a banda The Stooges, que revirou a incandescente cena musical da década de 1960 ao misturar rock, blues, R&B e free jazz, ensaiando as primeiras sonoridades do punk rock e do rock alternativo das décadas seguintes. Os dois filmes marcaram presença no Festival de Cannes de 2016.

Já o veterano Terence Davies traz dois longas de ficção que prometem emocionar o publico. Um deles, A canção do pôr-do-sol (Sunset song), se passa entre jovens  numa comunidade rural no interior da Escócia, às vésperas da Primeira Guerra Mundial. O outro, Uma paixão tranquila (A quiet passion), mergulha na intimidade de uma das vozes mais originais da poesia americana, Emily Dickinson, e no trauma que a levou a abandonar os estudos e isolar-se na casa de seus pais em Massachusetts.


SAIBA MAIS SOBRE OS FILMES

WANG BING

Dinheiro Amargo (Ku Qian). Direção de Wang Bing.

Em uma das muitas províncias de crescimento acelerado do leste da China, imigrantes de todo o país chegam para realizar o sonho de viver uma vida melhor. No entanto, a realidade é bem diferente. A cidade oferece poucas oportunidades de emprego, condições precárias de trabalho e habitação, e até mesmo os casais vivem relações violentas e abusivas. Xiao Min, Ling Ling e Lao Yeh são alguns dos personagens desta crônica amarga sobre a China contemporânea. Do mestre do documentário Wang bing. Melhor roteiro na mostra Horizontes do Festival de Veneza 2016.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/ku-qian

Ta’ang. Direção de Wang Bing.

Desde o ínicio de 2015, o Ta'ang, uma minoria étnica da Birmânia, vive uma guerra civil na fronteira do país com a China. De lá pra cá, o violento conflito forçou milhares de crianças, mulheres e idosos a deixarem a região para viver do outro lado da fronteira. O mais novo documentário do mestre Wang Bing segue a rotina desses refugiados e a esperança que compartilham de em breve voltar para casa. Eles vagam pelas montanhas remotas, acampam em barracas improvisadas e conversam ao redor da fogueira. Eles têm uns aos outros, portanto não estão com medo. Festivais de Berlim e Locarno 2016.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/ta-ang

BERTRAND BONELLO

Nocturama. Direção de Bertrand Bonello

Um grupo de jovens franceses planeja executar uma série de ataques em Paris. Multirracial, o grupo expõe um corte transversal da sociedade francesa contemporânea e, com a ajuda de telefones celulares, consegue realizar a missão com sucesso. A adrenalina da ação dá lugar então a um tempo em suspenso, quando, juntos, os terroristas se escondem da polícia em uma enorme loja de departamento desocupada. Dividido em dois capítulos, o novo longa Bertrand Bonello, começou a ser pensado décadas antes dos ataques a Paris em novembro de 2015, tomando forma de um presságio aterrador. Toronto 2016.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/nocturama

Sarah Winchester, opera fantasma. Direção de Bertrand Bonello

Uma ópera que não existe. Um fantasma toca uma peça na Ópera da Bastilha e dança na Ópera Garnier. Há uma ligação quase mística entre esses dois espaços. Um músico testa novos sons no porão da Bastilha enquanto o coro começa a ocupar seus lugares. Eles ensaiam juntos uma nova ópera, Sarah Winchester, sobre sua loucura, sua casa e seus fantasmas.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/sarah-winchester-opera-fantome

JIM JARMUSCH

Paterson. Direção de Jim Jarmusch.

Paterson trabalha como motorista de ônibus em uma pequena cidade em Nova Jérsei, curiosamente também chamada Paterson. Sua rotina é simples: todos os dias o jovem motorista segue por sua rota, observando a cidade enquanto escuta fragmentos de conversas. Em sua vida privada, ele escreve poemas em seu caderno de notas, passeia com seu cão e vai ao bar com sua esposa Laura beber uma única cerveja. Por outro lado, Laura está passando por um turbilhão de mudanças e a cada dia sonha com uma nova vida para ela. Do celebrado diretor Jim Jarmusch, com Adam Driver. Festival de Cannes 2016.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/paterson

Gimme Danger. Direção de Jim Jarmusch.

Os Stooges surgiram em Ann Arbor em meio a uma revolução cultural. Com seu poderoso e agressivo rock’n’roll, a banda foi responsável por abrir uma verdadeira cratera na paisagem musical do final da década de 1960 ao surpreender o público com uma mistura de rock, blues, R&B e free jazz, plantando a semente do que viria a se chamar punk rock e rock alternativo décadas mais tarde. Este filme do diretor Jim Jarmusch nos revela o contexto musical, cultural e político em que surgiu a banda, enquanto mapeia as inspirações e razões para este legado duradouro. Festival de Cannes 2016.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/gimme-danger

TERENCE DAVIES

A Canção do Pôr-do-Sol (Sunset song). Direção de Terrence Davies

No início do século XX, na pequena comunidade rural de Kinraddie, na Escócia, a jovem Chris está chegando à idade adulta. Ela tem uma enorme paixão pela vida, por sua terra e por Ewan, um rapaz instável. Chris tenta lidar com os limites de seu amor, enquanto sua família sofre uma tragédia profunda, em meio a um cenário de mudanças sociais radicais. E logo não demora para que chegue a Primeira Guerra Mundial. Baseado no romance clássico de Lewis Grassic Gibbon, dirigido por Terence Davies (A essência da paixão, Amor profundo). Seleção oficial do Festival de San Sebastián 2015.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/sunset-song

Uma paixão tranquila (A quiet passion). Direção de Terence Davies.

Quem foi Emily Dickinson, a poetisa que passou quase toda a vida isolada na mansão de seus pais em Massachusetts? Esta biografia nada convencional faz um retrato íntimo dessa personagem ímpar da literatura norte-americana. Considerada uma criança prodígio, Dickinson sofreu um forte trauma emocional ainda jovem, que a forçou a abandonar os estudos e a transformou em um mulher introvertida. Pelo olhar sensível do diretor Terrence Davies (A essência da paixão, Amor profundo), acompanhamos sua jornada pessoal, na qual se comunicava com o mundo exterior através de cartas. Festival de Berlim 2016.

http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/a-quiet-passion




Voltar