Nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, Leandra Medeiros Cerezo, conhecida apenas por Lea T., foi a primeira trans a participar oficialmente do evento, apresentado toda a delegação de 465 atletas brasileiros. Filha do craque do futebol, Toninho Cerezo, ela brilhou no mesmo gramado do Maracanã, onde seu pai jogou.

Lea é o rosto de grifes internacionais como Givenchy, Benetton e Redken, capa de centenas de revistas e ainda foi eleita pela Forbes uma das mulheres mais poderosas da moda italiana, ícone de tendências ao lado de Miuccia Prada.

Hoje (14/10), como parte do Festival do Rio, ela participa de um debate às 18h, na biblioteca do Centro Cultural Banco do Brasil. Participam ainda da mesa redonda,o carnavalesco Milton Cunha e da ativista e atriz Dandara Vital. A moderação será do jornalista Gilberto Scofield. A entrada é gratuita, com distribuição de senhas meia hora antes.

Desde o ano passado, o festival homenageia um nome de destaque no universo LGBTQ brasileiro através do Prêmio Suzy Capó – Personalidade Felix do Ano. O prêmio leva o nome de Suzy Capó, jornalista e produtora cultural morta em 2015, militante histórica da luta contra o preconceito e a discriminação de orientação sexual e de gêneros. Lea T. vem iluminar o debate sobre transfobia no festival, uma causa urgente num país campeão em ataques à comunidade LGBT.

Em sua segunda edição, a Lea T, um dos nomes mais celebrados do cenário LGBTQ brasileiro em 2016, será agraciada por sua imensa contribuição à luta pela visibilidade trans. O prêmio será entregue no domingo pelas mãos de Tino Monetti.




Voltar
SESC GOVERNO FEDERAL MINISTÉRIO DA CULTURA ANCINE FSA BRDE CIMA CANAL BRASIL CANAL CURTA ADORO CINEMA IEH TELECINE GLOBO FILMES FIRJAN CAIXA SEGURADORA PETROBRAS LEI DE INCENTIVO A CULTURA