A jovem Justine nasceu no seio de uma família de veterinários. Aos 16 anos, a aplicada e talentosa adolescente está prestes a ingressar na faculdade, seguindo os passos de seus familiares na mesma universidade onde sua irmã mais velha faz sua graduação. Os trotes promovidos por veteranos começam já nos primeiros dias de aula e, em um dos desafios promovidos, Justine é forçada a comer carne crua pela primeira vez em sua vida. As consequências desse ato são inesperadas e logo Justine descobre sua verdadeira natureza. Com esse enredo, o filme Grave (Raw), da diretora francesa Julia Ducournau, arrebatou o Prêmio FIPRESCI na Semana da Crítica do Festival de Cannes 2016. E desde então o filme virou uma sensação por onde foi exibido.

Grave (Raw) causa sensações físicas na plateia. Especialmente para a geração saúde, que se tornou superfã das dietas vegetarianas. A angústia de Justine, suas dúvidas alimentares, seus problemas na família e com seus relacionamentos fazem parte de um roteiro muito provocador, que ganhou corações e mentes em Cannes, em maio. Já em setembro, no Festival de Toronto, o filme causou escândalo. Houve quem desmaiou ao ver as cenas mais fortes do filme. Houve quem teve enjôo a ponto de vomitar. O enredo mistura distúrbios alimentares e sexualidade como raras vezes se viu no cinema. Depois da experiência de Toronto, o filme começou a ser chamado de "cinema sensacionalista", no sentido de provocar sensações físicas na plateia. A voracidade da protagonista, misturada aos dilemas morais da entrada na vida adulta, tornaram as sessões de Grave (Raw) as mais comentadas entre os críticos e o público que frequenta festivais internacionais. A diretora Julia Ducournau transforma sua protagonista numa herdeira legítima da Justine dos romances do Marquês de Sade. "Tudo o que eu pretendia era questionar as noções daquilo que todos consideram moralmente monstruoso", disse a diretora, em entrevista durante o Festival de Cannes. A julgar pela reação da crítica e pela resposta física da plateia, ela conseguiu plenamente seu objetivo. Grave (Raw) é um dos filmes imperdíveis da mostra Midnight, no Festival do Rio 2016. Tem sessões nos dias 15, 17 e 18 de outubro no Roxy.


RAW

(Grave)

de Julia Ducournau. Com Garance Marillier, Ella Rumpf, Rabah Nait Oufella, Joana Preiss. França, 2016. 90min,DCP.

A jovem Justine nasceu no seio de uma família de veterinários. Aos 16 anos, a aplicada e talentosa adolescente está prestes a ingressar na faculdade, seguindo os passos de seus familiares na mesma universidade onde sua irmã mais velha faz sua graduação. Os trotes promovidos por veteranos começam já nos primeiros dias de aula e, em um dos desafios promovidos, Justine é forçada a comer carne crua pela primeira vez em sua vida. As consequências desse ato são inesperadas e logo Justine descobre sua verdadeira natureza. Prêmio FIPRESCI na Semana da Crítica do Festival de Cannes 2016.

Midnight Movies - (LEP, LI) - 18 anos

SAB (15/10) 15:00 Roxy 1

SEG (17/10) 17:00 Roxy 3

TER (18/10) 18:40 Roxy 2


http://www.festivaldorio.com.br/br/filmes/grave



Voltar