Um dos principais convidados internacionais do Festival do Rio 2017 foi o italiano Luca Guadagnino apresentou seu novo longa-metragem Me chame pelo seu nome, na noite de sexta-feira, 6 de outubro, no CCLSR – Cine Odeon NET Claro. Diretor, documentarista, roteirista e produtor de Palermo, seu primeiro longa-metragem The Protagonists (1999), fez parte da seleção do Festival de Veneza. Em 2005, ele lançou Melissa P. (2005), e quatro anos depois Um sonho de amor, exibido em festivais internacionais e indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro. Voltou a participar do Festival de Veneza com Um mergulho no passado (2015), selecionado para a competição oficial.

A sessão no Cine Odeon foi apresentada pela diretora do Festival do Rio, Ilda Santiago. “O filme que vocês vão ver é um dos que mais me emocionou este ano. É de uma beleza que vai levando o público atrás dele por todos os grandes festivais por onde passou. Certamente, vocês vão ter muito orgulho de tê-lo assistido aqui esta noite. Ele fala sobre aquilo que o Festival do Rio quer abrigar, abraçar e acolher, que é tudo que nós somos como seres humanos. Parte da mostra Foco Itália, é um filme apoiado pelo governo italiano, e é muito importante ter esta representação. Mas mais maravilhoso ainda é ele ter um produtor brasileiro que hoje está presente nos grandes filmes do mundo. Para mim é um prazer chamar ao palco do Odeon, dois grandes nomes do cinema: Rodrigo Teixeira, produtor do filme, e o grande diretor, Luca Guadagnino”.

“Este é um filme que eu tenho muito orgulho de ter feito. Acho que é um dos pontos altos da minha carreira profissional. É um prazer poder trabalhar com o Luca. Conheço o trabalho dele desde do Um sonho de amor . É um filme que me emociona muito. Espero que toque o coração de todos vocês e leve um pouco de amor para esse nosso país cheio de problemas. O que este país precisa também é um pouco de amor. Que o Brasil seja o país que todos nós queremos”, disse Rodrigo Teixeira, sendo muito aplaudido pelo público.

Bem humorado, porém econômico com as palavras, o diretor Luca Guadagnino explicou que não ia falar muito porque “o filme já é grande demais”. “Quero agradecer ao Rodrigo, que se não fosse o trabalho dele, não estaríamos aqui esta noite”.

Ilda encerrou a apresentação lembrando que um dos filmes anteriores a este de Guadagnino se chama Io sono amore (Eu sou amor, traduzido no Brasil como Um sonho de amor). “Isso significa muito esta noite, nesta época, nesta cidade e neste país. Boa sessão”.

O filme Me chame pelo seu nome acontece em um verão de 1983, no norte da Itália. Elio Perlman, um jovem ítalo-americano de 17 anos, passa os dias na vila de sua família, um antigo casarão do século XVII, compondo ao piano e em flertes com sua amiga Marzia. Um dia, Oliver, um charmoso homem de 24 anos, chega para ajudar o pai de Elio em sua pesquisa sobre cultura greco-romana. Sob o sol do verão italiano, Elio e Oliver descobrem a beleza do despertar de novos desejos que irão mudar as suas vidas para sempre. O filme foi exibido no Sundance Film Festival e na mostra Panorama do Festival de Berlim, 2017.

Texto: Dominique Valansi
Fotos: Ruano Carneiro



Voltar